o aviador irlandês

Justificação de faltas

Fechei a porta a sete chaves mas ainda não me sinto segura. Estremeço com qualquer ruído: um carro a travar perto de casa, um bêbado a falar alto aqui na rua, o estalido das vigas do sótão nos dias de calor. Continuo à espera que irrompam pela casa pela madrugada, e me arrastem para a carrinha de vidros fumados, a espernear, a boca silenciada por uma mordaça de algodão barato, e me levem para o escritório, de janelas perpetuamente encerradas e estores corridos, para que aí possa cumprir as intermináveis jornadas do campo de trabalhos forçados.

Desperto em sobressalto às quatro da manhã, a hora de todos os fantasmas, e constato, sem grande alívio, que ainda não foi desta, que ainda posso acreditar que a fuga foi um êxito.

Dizem-me que tudo não passa de um exagero da minha parte, que toda a gente trabalha demasiado, que chamar-lhe “campo de trabalhos forçados” é um delírio de uma imaginação cansada e sobreexcitada por leituras caídas em desuso.

Nem pensem que acredito nisso. A mim ninguém me volta a apanhar.

Anúncios

11 comments on “Justificação de faltas

  1. Carlos Fonseca
    Julho 22, 2010

    Abençoados ruídos, abençoada travagem sonora do carro, abençoados gritos do homem embriagado. Mesmo profana, a benção é devida a tudo que teve a magia de trazer de volta a tua prosa. Hajam sempre ruídos e desassossego nessa casa!

  2. Carla Romualdo
    Julho 22, 2010

    Abençoado, Carlos, que tem sempre paciência para as minhas demoras e é sempre o primeiro a saudar os regressos. Obrigada, amigo Carlos

  3. Carlos Fonseca
    Julho 22, 2010

    Podes crer também na minha sincera amizade e na admiração pelo teu talento. Todos os dias visito o ‘aviador irlandês’, mas nem sempre o encontro a porta da aeronave aberta.

  4. Carlos Fonseca
    Julho 22, 2010

    …mas nem sempre encontro…

  5. JOSÉ MAGALHÃES
    Julho 22, 2010

    Já não te lia faz tempo. Não tens aparecido.
    Gostei do texto.
    Obrigado por teres visitado o meu novo blogue com as minhas fotografias, Já agora visita também o novo com os meus poemas e ainda o com os meus contos, que o antigo ficará só com as coisas banais.
    Abraço

    • Carla Romualdo
      Julho 23, 2010

      E qual é o da poesia? Vou acrescentar os links para ambos
      abraço

    • Carla Romualdo
      Julho 23, 2010

      já percebi a que te referes, tinha visto a ligação para poesia mas pensei que fosse para o blog antigo

  6. Luis Moreira
    Julho 23, 2010

    Que medos, mulher? Tu que podes sempre escrever assim,exorcitas tudo! Já tenho batido com o nariz no trem de aterragem.

  7. adao cruz
    Julho 29, 2010

    Falando a sério, Carla, há razões para algum temor, dado que toda a filosofia de olhos abertos tende a considerar que o neoliberalismo está a ser igual a fascismo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Information

This entry was posted on Julho 22, 2010 by and tagged , .

Navegação

%d bloggers like this: